LAZER E BEM-ESTARRELACIONAMENTOSEXO

Queda de libido? Pode ser testosterona baixa! Saiba tudo sobre este assunto.

Queda de libido? Pode ser testosterona baixa (e este assunto dá o que falar!). Você provavelmente em algum momento usou o famoso Dr. Google para pesquisar sintomas de cansaço, preguiça, falta de apetite sexual (baixa libido), dificuldade para atingir o orgasmo e até ganho de gordura, não é mesmo? Pois saiba que estes e outros sintomas são consequência da falta de testosterona no seu corpo.

Calma, isso não é um bicho de sete cabeças! É por isso preparamos um artigo completo, com base em testemunhos de especialistas e fontes confiáveis, sobre como identificar os baixos níveis de testosterona no seu organismo e o que você pode fazer para melhorar estes sintomas e ter mais qualidade de vida.

Para quem não sabe, a testosterona é um hormônio esteroide (formado a partir do colesterol) e é essencialmente masculino. Os níveis do hormônio nas mulheres são cerca de 10 a 30 vezes mais baixos do que o dos homens. Mas isso não indica que a testosterona não seja importante pra saúde da mulher. Na verdade, a testosterona é importantíssima para as mulheres.

Sem a testosterona, o corpo da mulher não consegue executar uma série de funções metabólicas dependentes desta produção Hormonal fisiológica.

Mas pra quê de fato é preciso da testosterona? Acredite, para quase todos os processos e principalmente para questões simples, ligadas à saúde, beleza, bem-estar e qualidade de vida.

Os sintomas da baixa testosterona são mais típicos em mulheres na menopausa. Estima-se que cerca de 30% das mulheres nesta fase experimentam estes sintomas e, essencialmente, a sinergia da falta dos demais hormônios acaba culminando em um quadro de baixíssimo bem estar.

Você sabia?

Cientistas acreditam que o cérebro leva de 90 segundos a quatro minutos para se apaixonar e que, durante a paixão, a produção de testosterona aumenta. O cheiro da pessoa amada e suas características físicas estimulam esse crescimento.

Confira 11 sintomas que indicam baixos níveis de testosterona:

  1. Falta de apetite sexual ou Transtorno de Desejo Sexual Hipoativo (TDSH)
  2. Dificuldade para atingir o orgasmo
  3. Dificuldade de auto-estima, auto confiança e mudança e humor
  4. Falta de vontade de se cuidar e motivação
  5. Fadiga persistente
  6. Sensação de apatia, com menos energia para as atividades habituais
  7. Fraqueza, preguiça, dificuldade nas tarefas diárias
  8. Falta de decisão, iniciativa, vontade e vaidade
  9. Perda e/ou dificuldade de ganho de massa muscular (menor tônus muscular)
  10. Acúmulo de gordura corporal
  11. Perda de massa óssea

Engana-se quem pensa que apenas as mulheres na fase da menopausa precisam ter seus níveis hormonais dosados. A queda da testosterona pode acontecer em diversas fases da vida da mulher. Além da menopausa, existem outras causas que causam a baixa quantidade de testosterona nas mulheres.

9 causas da baixa testosterona nas mulheres:

  1. Uso de anticoncepcionais via oral e DIU mirena
  2. Retirada, insuficiência ou falência dos ovários
  3. Medicamentos antidepressivos
  4. Uso de estrogênios, anti-androgênios ou glicocorticoides
  5. Excesso de stress (o cortisol inibe a testosterona)
  6. Insuficiência adrenal
  7. Anorexia
  8. Artrite
  9. AIDS

O que fazer para melhorar este quadro de baixa de testosterona em 7 dicas:

  • Primeiro de tudo é consultar um médico! Não se autodiagnostique, afinal, o que você tem pode estar relacionado a outra doença. Por isso, exames pra já, mulher! Procure um profissional que possa lhe avaliar e sanar suas dúvidas e traçar estratégias terapêuticas pessoalmente.

  • É importante aliar a uma melhoria dos hábitos, emagrecimento, fortalecimento muscular e a prática intensiva de exercícios físicos, pois tudo isso pode ajudar a retomar os bons níveis de testosterona no corpo da mulher. O ideal é praticar algum exercício físico, pelo menos 2 vezes por semana durante 1 hora, ou diariamente durante 30 minutos.

  • Busque apetrechos para o momento do sexo. Esqueça a vergonha e vá agora até um sex shop comprar algo diferente! Preguiça? Compra online!

  • A alimentação é um ótimo trunfo para aumentar a testosterona e por isso é recomendado apostar nos alimentos ricos em zinco, vitamina A e D, como: castanhas, sementes de girassol, ovos, sardinhas, espinafre e óleo de peixe.

  • Esta dica é “m-a-r-a”: procure cursos de strip tease, pole dance ou outras técnicas que ajudam a aumentar a sua imaginação fértil e a desinibir o seu corpo!

  • Quando, mesmo com mudança de hábitos, não se alcança resultados, existe a possibilidade de tratamento com doses individualizadas, em pessoas indicadas por profissional de saúde.

  • O ginecologista pode indicar a testosterona para a mulher que apresenta valores, no exame de sangue, iguais ou menores que 25 ng/dL. Vários estudos demonstraram que o tratamento com doses baixas de testosterona por via transdérmica diária (na forma de adesivos, cremes ou géis) é eficaz no tratamento do transtorno do desejo sexual hipoativo em mulheres após a menopausa natural. As mulheres na pré-menopausa com redução da libido e baixos níveis de testosterona no sangue podem, também, ser beneficiadas. Além de ser capaz de melhorar o desejo sexual, o tratamento é seguro em curto prazo. Há estudos demonstrando ainda que o tratamento com testosterona pode trazer resultados favoráveis para ossos, músculos, função cognitiva e sistema cardiovascular nas mulheres.

Se o seu problema não é saúde e você realizou todas as nossas dicas acima e nada resolveu, está na hora de procurar um(a) psicólogo(a) da sexualidade. Já testemunhamos aqui no Papo de Motel depoimentos de pessoas de mudaram radicalmente a sua vida sexual a partir de alguns meses de terapia da sexualidade. Por isso, todo o nosso apoio aos profissionais que trabalham com este foco!

Apesar dos “benefícios”, muitos médicos discordam em peso dessa prática. A razão? “Há vários e perigosos efeitos colaterais”, responde o endocrinologista Filippo Pedrinola em entrevista para o site da Elle.

Riscos da mulher tomar testosterona:

O uso da testosterona pela mulher só é recomendado quando indicado pelo médico, pois seu uso pode causar aumento do risco de câncer de mama e de ovário, aumenta o risco de infarto, trombose, risco de desenvolvimento de resistência à insulina, aumento do acúmulo de gordura na região abdominal favorecendo o acúmulo de gordura entre os órgãos que aumenta muito o risco de problemas cardíacos, toxidade do fígado. Por estas razões não é indicado tomar testosterona somente para aumentar a massa muscular, hein!

Tipos de suplementos de testosterona:

O mercado oferece hoje diversas opções de remédios à base de testosterona que podem ser indicados quando a concentração de testosterona na mulher está muito mais baixa.

 

  • Testosterona injetável: pode ser encontrada sozinha ou combinada com estrogênios;

  • Testosterona em comprimidos: pode ser manipulado ou encontrado na farmácia convencional. A dose mais segura é de 1,25mg a 2,5mg ao dia;

  • Testosterona em adesivo: não foi aprovado pela Anvisa e por isso não é comercializado no Brasil mas fornece 300µg/dia e deve ser trocado a cada 4 dias.

  • Gel de testosterona: pode ser feito na manipulação contendo propionato de testosterona 1% a 2% para ser aplicado na região íntima externa da mulher ou pelos homens.

 

Preocupações que as pessoas têm com o uso da testosterona?

Quando necessária, a testosterona deve ser utilizada na menor dose possível com o objetivo de aumentar seus níveis no sangue, sem, contudo, deixá-los acima do limite da normalidade.

Os estudos mostram que isso pode ser obtido com um adesivo de testosterona (300 mcg/dia) em mulheres na menopausa. Foi demonstrado, também, que um creme com testosterona (10 mg/dia) pode ser útil para as mulheres mais jovens. Esta estratégia reduz significativamente o risco de ações masculinizantes indesejáveis da testosterona, como, por exemplo, crescimento de pelos, aumento da oleosidade da pele, acne, alterações da voz, entre outros. Estas mudanças ocorrem com maior frequência quando são prescritos implantes e injeções de testosterona que podem aumentar demais os níveis desse hormônio.

Segundo o Dr. Victor Sorrentino, médico renomado, em suas Redes Sociais: “Os efeitos são devido ao uso inadequado, prescrição de doses inadequadas, falta de compreensão de derivações hormonais e outras questões. E o mal uso com efeitos indesejados criam um estigma de que um tratamento possa ter efeitos ruins aos que precisam”.

Por fim, deve haver uma conscientização por parte das pacientes e dos profissionais da saúde da importância de abordar esse problema sem constrangimentos, para que se possa diagnosticá-lo, tratá-lo e, assim, restabelecer o bem estar pessoal e o bom relacionamento afetivo.

Fundado em 2016,o Papo de Motel é dedicado a conteúdos que estimulam a vida de casal, em todos os aspectos: relacionamentos, prazer, entretenimento e lazer, artigos eróticos e massagens, feiras quentes, tecnologias, gastronomia, saúde e bem-estar e novidades sobre o mercado moteleiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *